terça-feira, dezembro 27, 2005

Quando a realidade ocupa o espaço dos humoristas

Já se sabe: é difícil definir o que é humor.
Decorria Setembro passado quando eu, à falta de melhor ideia, recorri a um anúncio dos "classificados" do Público para produzir Os Corvos do Região de Leiria daquela semana.

Acrescentei-lhe um marcador e um traço vermelho para dar mais intensidade plástica à "coisa", forgei um jornal (na realidade não possuía mais do que uma fotocópia em A4), descaracterizei o conteúdo dos anúncios por uma questão de ética e acrescentei-lhe os Corvos inevitáveis a dizerem qualquer coisa que agora até nem vem para o caso (em boa verdade, não encontro o desenho completo em arquivo...).

...e assim nasceu um cartoon que, bem vistas as coisas, não foi mais do que a apropriação de uma realidade tal e qual, consubstanciada num anúncio de jornal.

Não é das melhores ideias, esta de pegar numa peça já de si mordaz e fazer com ela a mordacidade em sede de humor. Mas serviu-me para onfirmar um princípio já clássico: o humor existe na realidade da vida, não é a gente que o inventa.

Zé Oliveira

3 comentários:

wind disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
wind disse...

Desculpa a minha ausência, mas vinha cá antes e tu tiveste isto muito parado, de modo que depois fui eu que me esqueci de voltar:)

Menina_marota disse...

Mudaste de servidor... vou linkar-te. Assim, não perderei o caminho para cá...

"...o humor existe na realidade da vida, não é a gente que o inventa."

Grande verdade!

Um abraço e serena entrada em 2006 ;)