quarta-feira, janeiro 12, 2011

Bolo Rei com fava para o nosso Primeiro

Uma comitiva de gente da Lousã, Miranda do Corvo e Coimbra foi a Lisboa cantar as janeiras ao nosso Primeiro e deixou-lhe, como prenda de Dia de Reis, oedaços de carril ferroviário.

Broncas faz passagem de ano... especial


Comboio de encher pneus


Já falei mais abaixo da tragicomédia do Comboio da Lousã, cuja linha foi desmantelada para instalar o Metro, após o que se concluiu que... não há dinheiro para ele. E então, surgiu a proposta "brilhante" de instalar, na secular plataforma do comboio, um serviço de autocarros...

O Broncas regressa ao Trevim

O Broncas, que tinha feito uma carreira de 20 anos nas páginas do trevim (da Lousã) e metera uma prolongada licença sabática, está de novo no quinzenário.
Se excluirmos um aparecimento episódico há uns bons pares de meses, é este o primeiro da nova série.
Aborda o tema das completamente idiotas decisões que têm andado por aí, em matéria de ferrovias.
Há uma meia dúzia de anos, decidiu-se pela substituição do Comboio da Lousã por uma coisa chamada Metro Mondego. (Metro, por definição, é um comboio metropolitano, isto é: da metrópole; concebido para parar-arrancar-parar-arrancar rapidamente, tendo em vista que tem uma paragem aqui junto ao Teatro, outra trezentos metros adiante ao pé da Praça, outra logo a seguir no topo da Avenida, uma quarta, uma quinta e uma sexta a meio da avenida, no fim e logo mais adiante. Ora, a linha da Lousã é uma via ao longo de paisagens rurais. Arranca de Serpins, e o que tem pela "frente" são pinheiros e eucaliptos e mais pinheiros e mais eucaliptos e só depois, o apeadeiro do Prilhão. Decalque da frase anterior e... Lousã. Idem, e Meiral; e Miranda do Corvo. E assim sucessivamente durante cerca de 40 quilómetros. Itinerário com características para Comboio, não para Metro).
Mas... este absurdo Governo decidiu avançar para o absurdo Metro. E mandou arrancar os carris. E concluiu, logo a seguir (e depois de ter gasto noventa milhões de euros com o processo), que não tem dinheiro para fazer avançar a obra. Porém, em Novembro (quando este cartoon foi publicado), ainda anunciava a concretização do TGV!. Não dá para entender.

quarta-feira, dezembro 29, 2010

sábado, setembro 18, 2010

Tomy partiu demasiado cedo: aos 61 anos

Tomy no grupo de quatro cubanos que representaram a sua terra no Encontro Iberoamericano de Caricaturistas (Alcalá de Henares) qm 2001.
Em 1º plano, Nuez. A seguir, Tomy, Martirena e Lloy
Contaminação


Há uma semana, em Cuba, Tomy deixou esta vida aos 61 anos de idade, atraiçoado por um acidente cardiovascular. Já não pinta mais cartoons gigantes, com recurso a andaimes, no seu Salão de Humor de San António de los Baños (Cuba).
Já não é mais meu companheiro de passeio pelas ruas de Alcalá de Henares nem de Madrid.

Comandante

Já não merenda mais presunto e vinho do lavrador, juntamente com o Varela, na minha cozinha aqui em Leiria. Já não passeamos nunca mais os três em Estremoz nem voltamos a almoçar em Évora. Já não volta ao Porto, receber um prémio no Salão de Humor do Museu da Imprensa.

Lavrando o Mar


Já não voltas a surpreender-me, quando, atravessávamos nós o Alentejo, me demonstras saberes que o descobridor da tua ilha foi um alentejano.
Já não me mandas mais fotografias da tua neta italiana.

Absurdo


Já não dás mais voltas ao mundo para receberes os muitos, muitos, muitos prémios que te atribuiam. Desfile

Já não me mandas mais cartoons (centenas!!! de que eu, infelizmente, só publiquei dezenas e guardei menos de uma vintena dos quais aqui mostro hoje alguns.

sexta-feira, setembro 10, 2010

FecoPortugal lança exposição internacional

O prazo para envio de desenhos (tema: D!GNiDADE) termina a 30 de setembro.
Só são aceites cartoons enviados por email (medidas A4, 300 DPI).
Já chegaram desenhos da Arménia, China, Chile, Israel, Uruguai e Portugal.

À semelhança do que aconteceu no ano passado com a exposição "A Liberdade é um Risco", de grande êxito, também desta vez a FrcoPortugal produz esta exposição em coorganização com a Amnistia Internacional.




Exposição internacional de Cartoon
A FecoPortugal – Associação de Cartoonistas e a Amnistia Internacional – Portugal são co-organizadoras de uma exposição internacional de cartoon, que tem por tema e título: DIGNIDADE.
Esta iniciativa pretende chamar a atenção da sociedade para a crise de valores a que vamos assistindo, com a crescente sobrevalorização do TER, à custa da subvalorização do SER. Para mais informações acerca do tema, veja Campanha Exija Dignidade em www.amnistia-internacional.pt"
Esta iniciativa não é um concurso, não havendo, portanto, prémios nem classificações.
Regulamento
1 – Tema: "Dignidade". Cada autor pode abordar a problemática da Dignidade (ou da falta dela…), tomando em sentido lato o valor positivo do conceito.
2 – Podem participar artistas profissionais ou amadores, de qualquer nacionalidade.
3 – As obras têm de ser criação original de cada autor, podendo ter sido já divulgadas ou publicadas (ou não) na imprensa ou outros meios de difusão.
4 – Cada autor pode participar com uma única obra, que pode ser Cartoon, Caricatura, Ilustração, ou Banda Desenhada em história de página única, elaborados em qualquer técnica, inclusivamente com recurso a computador, a preto e branco ou cores.
5 – As obras que tiverem texto, devem contê-lo em língua portuguesa.
6 – As obras, que devem ter dimensões máximas A4 (21 x 29,7 cm), têm de ser enviadas por e-mail, em ficheiros JPG com resolução de 300 dpi, para:
presidente_dir@feco-portugal.org
7 – Com cada obra, mas em ficheiro separado, deve ser enviado um ficheiro com: Nome da obra, nome do autor, endereço postal sem esquecer o país, telefone e e-mail.
8 – Um curriculum resumido deve acompanhar as obras, em documento anexo.
9 – O prazo de recebimento das obras termina a 30 de Setembro de 2010.
10 – Um júri, constituído por cinco elementos, procederá à selecção das obras recebidas, que serão expostas depois de devidamente emolduradas e reproduzidas em catálogo. O júri pode ainda seleccionar um conjunto de obras extra-catálogo, que poderão igualmente ser emolduradas e expostas. Os autores cujas obras seleccionadas e expostas não constem do catálogo, são mencionados nele. O júri terá a seguinte constituição: um representante da FecoPortugal, um representante da Amnistia Internacional, um cartoonista convidado, um investigador da área do cartoon e um profissional da escrita.
11 – Todos os autores de obras seleccionadas para o catálogo receberão um exemplar desse catálogo.
12 – A exposição será inaugurada na " Sociedade Artística Guilherme Cossoul, Rua Prof. Sousa Câmara, n.º 156 (Lisboa - Portugal) a 21 de Outubro. Ficará exposta durante duas semanas, após o que inicia um período de itinerância em Portugal, podendo também ser exposta no estrangeiro.
13 – A participação dos autores implica a aceitação do conteúdo deste regulamento e a cedência de direitos de autor à organização, apenas para difusão informativa e promocional do evento e edição do catálogo, bem como exposição itinerante. Essas utilizações, que não possuem nenhuma finalidade lucrativa, não implicam qualquer pagamento aos autores.
14 – Nenhum órgão de comunicação ou outra entidade será autorizado a utilizar, para publicação ou outra finalidade, qualquer das obras enviadas, fora do âmbito do ponto anterior.


Internacional Cartoon exhibition
FECO PORTUGAL (Cartoonist association) and Amnesty International - (Portugal), are co-organizers, of a cartoon international exhibition, whose topic and title is : "Dignity". It is the intention of this initiative to call the attention of society for a crises in values which we have been witnessing, where "HAVING" is being overestimated as up against the undermining of "BEING".
For more information about the theme, see Demand Dignity Campaign in www.amnesty.org".
This event is not a contest; consequently there will not be any prizes or classifications.
RULES
1 - Theme: "Dignity". Each artist is free to approach the concept of Dignity (or the lack of it….), having in mind the positive side of such a concept.
2 - The exhibition is opened to all nationalities, professionals or amateurs.
3 - All the proposed drawings must be original creation of each authour, irrelevant of the fact that they might have already been (or not) published or exhibited in any way.
4 - Only one work is allowed per artist in one of the following: cartoon, caricatures and graphic story (the last one, not exceeding one page). Any technique is allowed, including the usage of a computer, in black and white or in color.
5 - If a drawing has text, this text must be written in Portuguese.
6 - Drawing size permitted is A4 (21 x 29,7 cm). Drawings must be sent by e-mail using JPEG file at 300 dpi to: presidente_dir@feco-portugal.org
7 - Each work must be accompanied by a file containing: the title of the work, the author’s name, telephone number, e-mail address, (not forgetting to mention the country).
8 - Short curriculum must be included in another computer file.
9 - Entry dead line is September 30 – 2010.
10 - Drawings will be selected by a Jury composed by 5 elements, after which the works will be framed, exhibited and reproduced in a catalogue. The jury is entitled to the right to select a number of works extra-catalogue, which will also be exhibited and their authors will be also mentioned in the catalogue. The jury is composed by a representative of FECOPORTUGAL, one representative of Amnesty International, one guest-cartoonist, one cartoonist-researcher and one text expert.
11 - Every artist who has been selected will be given a copy of the catalogue
12 - The exhibition will be inaugurated at the "Sociedade Artística Guilherme Cossoul, Rua Prof. Sousa Câmara, n.º156" (Lisbon - Portugal) October 21st -2010. The exhibition will stay on place for about two weeks after which it will go on an itinerancy through Portugal and other countries
13 - The artist’s participation implies accepting the rules above and the submission of respective author’s rights, only to be used to promote and inform about the event as well as the edition of the catalogue and the itinerary exhibition. As there is no profit involved in these procedures, no payment will be made to any of the participants.
14 - No media or other entity will be authorized to use for publication or any other use, any of the works submitted to this event, with the exception of rule 13.

quarta-feira, agosto 25, 2010

Teias de aranha no Buraco do Amor

Sou um grandessíssimo inconsciente! Felizmente.
Porque se eu tivesse nem que fosse só um bocadinho de conscência, metia-me agora pelo chão abaixo depois desta vergonhaça que o Carlos Amor me fez passar com estas teias de aranha (ela incluída) com que me ornamentou o buraco (oni suá).
Tens razão, Carlos! Valia mais fechar a loja, do que manter o Buraco nesta penúria!
(Reparem na facilidade com que o Carlos vem com a lágrima desde o plano lá de trás até ao plano cá da frente, sem se notar que ele mudou de planos! O Salvador Dacolá aprendeu com ele).

sábado, julho 31, 2010

Acabaram as Conversas da Treta

Há dias, enquanto demoradameeeente falávamos ao telefone eu e o Leonardo de Sá acerca d' Os Ridículos (nos quais colaborei desenhando e escrevendo) e do Actualidades (no qual colaborei escrevendo), e eu insistia que o Humberto da Silva Nobre do Actualidades era o proprietário e director d'Os Ridículos (última e penúltima séries), o Leonardo mandou-me umas coisas que tinha encontrado recentemente. Designadamente esta primeira do Actualidades:
O texto "Continuaremos" é escrito por Humberto da Silva Nobre

Dei conta ao Leonardo de que cheguei a ver, no gabinete do Silva Nobre, uma excelente caricatura (aguarela) de António Feio (o fundador do Actualidades, prematuramente falecido num acidente rodoviário em França). Tinha assinatura de Santana, de Pargana, de Jorge Rosa ou coisa assim. Não me lembro bem.

O nosso telefonema foi há dois ou três dias.

Agora, vejam como, mesmo sem se repetir, a História se... repete: Este manchete teria tido, hoje, plena justificação: António Feio - Uma sdaudade. Aliás, os jornais de hoje e ontem disseram o mesmo por outras palavras.

Desconheço se existia algum grau de parentesco entre estes dois homónimos. Mas, continuando a falar de caricaturas, recordo que o saudoso António Feioo das Conversas da Treta tinha, em 4ª entrada na Galeria de Imagens do seu site http://www.antoniofeio.com/galeria/index.php?gid=24 , uma sua caricatura de minha autoria. A utilização estava autorizada por mail, pois foi essa a nossa única via de contacto, não obstante o António ter vindo ensaiar regularmente um grupo de Teatro a Leiria (onde resido). Nunca se me proporcionou aceitar o seu oferecimento de bilhetes para um seu espectáculo em Lisboa, que - dizia ele - seria pretexto para nos conhecermos pessoalmente.

Deixa, António! Fica para a próxima! Encontrar-nos-emos poraí!

A caricatura era esta:


Extracto de um post do jornalista brasileiro Luís Nassif
em http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-morte-de-antonio-feio#more:

Hoje estou um pouco mais triste. (...) "Se pudesse matava o bicho a rir" foi com bom humor que enfrentou a luta contra a doença. Assisti aos Globos de Ouro, uma espécie de Óscar português, no qual ele foi homenageado.
Na hora dos agradecimentos não deixou por menos: Quero agradecer ao povo português e ao meu pâncreas por este prémio. Graças ao meu pâncreas agora sou convidado para tudo e mais alguma coisa. Cheguei mesmo a ser capa de revista com o titulo: O pâncreas da treta. (...)

quarta-feira, junho 30, 2010

Estamos empatados com a Espanha

O Srócates salvou a honra do convento.


Ele, que tem um grande sentido de estado, decidiu que aquilo da derrota de ontem não podia ficar assim. Vai daí, ai usteds quieren la Vivo brasileña?! Joder!! No hay Vivo para nadie! Hay que vingar la derrota de ayer!


É claro que o nosso primeiro acaba de ditar a sua sentença de morte; então ele não sabe que os bancos estão mais tesos do que os banqueiros?!... E que o Belmiro anda danado desde aquela altura em que não conseguiu comprar a PT?!... Então ele não sabe que quem manda não é ele?!... Então... ele vai assim, sem mais nem menos, faltar ao respeito aos senhores que verdadeiramente mandam nisto tudo?!...


Quer dizer: já só faltam seis meses certinhos para a Maratona de S. Silvestre! E estes senhores, que estavam a contar empochar uma cartuchada de pesetas como se fossem favas contadas, são homens para também alinharem na maratona de S. Silvestre! Para correrem com o nosso primeiro!



Ora abóbora!


Ali em baixo, a 300 metros, começa a aldeia.
E vem ali, pela ladeira acima, um desgraçado de um puto a pedalar a bicicleta que os avós lhe deram pelo Natal, ao mesmo tempo que sopra uma vuvuzela da Galp, como se a gasolineira lhe patrocinasse o leite e o ovo estrelado com que ele motoriza a pedaleira.
O rapaz ainda não reparou que o Campeonato do mundo acabou ontem, mas isso é lá com ele. O que me faz realmente pena, é que a vuvuzela dele seja aquela merda de plástico cor de laranjinha. Quando eu era garoto daquela idade, tinha perante ele duas diferenças: não possuía bicicleta e fazia vuvuzelas (a gente chamava-lhes cornetas...) com o canudo das folhas das aboboreiras.
Mas isso era no tempo em que os garotos de aldeia eram garotos de aldeia!

Dedico-te este texto, Carlos Amor!