quinta-feira, maio 25, 2006

Bruno Taveira não dá descanso às canetas O jovem Bruno Taveira não poupa nas canetas .
Aliás, esse é o segredo de qualquer desenhador: desenhar insistentemente.
Na mensagem que acompanhava este cartoon, o Bruno contava que a ideia para esta sátira gráfica lhe surgiu quando via o telejornal. Pois é assim mesmo que os profissionais fazem! Não se cansam (às vezes cansam-se, mas fazem de conta que não) não se cansam de ver telejornais, jornais, revistas, (...as reportagens, as notícias, as crónicas, o correio dos leitores, os anúncios...), de ouvir conversas no café, no metro, no emprego.* Porque o cartoon é a voz do povo. Deve ser uma síntese do pulsar da sociedade. E só se consegue fazer isso eficazmente, dedicando a máxima atenção (nunca é demasiada) a tudo o que nos rodeia.
Estás no caminho certo, Bruno!
Não te esqueças de dedicar mais atenção aos balões. Nunca devem ser colocados ao acaso. Não podem atrapalhar o restante desenho. E devem ter uma caligrafia esmerada. Já uma vez aqui disse: deves desenhar cada letra como se ela fosse um objecto. Não é aconselhável usares a mesma caligrafia com que, aí em casa, escreves um bilhete a dizer "Hoje chego mais tarde". Quando vais desenhar um A, deves abstrair-te de que vais escrever a letra A. Vais desenhá-la, não vais escrevê-la! Tens de partir para o acto de a desenhar, com o sentido de que vais desenhar "um objecto" que tem três traços. E desenhas cada traço por sua vez. Nãio instintivamente, mas cerebralmente.
Experimenta e conta como resultou!
Zé Oliveira

2 comentários:

Anónimo disse...

Sugerencia: que este blog establezca un link o enlace con el blog O misantropo enjaulado

Menina_marota disse...

Uma rica lição...de Professor para aluno?

boa semana ;)