sexta-feira, janeiro 06, 2006

Uma cavacada de Álvaro e mais umas achas para a fogueira

O texto seguinte não é mais do que o comentário que o Álvaro deixou a propósito do cartoon que Carlos Amor criou especialmente para o Buraco da Fechadura (actualização sobre desenho antigo de sua autoria). Mas o texto, escondido na caixinha dos Comentários, corria o risco de ser menos lido. E, nestas coisas do rigor histórico, todo o escrúpulo é pouco, todo o destaque idem.
Portanto, cá vai o que...

Álvaro disse...
Lembro-me que ele, quando era 1º Ministro, também viu outro filme que, devido aos seus tons acinzentados e difusos, lhe lembrava Ingmar Bergman.E também tinha lido outro livro. «A Utopia» salvo erro. De Thomas Mann, segundo ele. Houve mais.


...e agora, dou eu mais um subsídio...
Igualmente desses tempos de 1º Sinistro* nos ficou a memória revista e actualizada (segundo apertados critérios de economia...) do número de cantos dos Lusíadas: quatro!!! (esqueceu que, para além dos cantos da capa, é preciso contar também com outros tantos da contra-capa; esquecimento imperdoável para quem aprendeu a fazer contas no pragmatismo da vida, a contar, um a um, os litros de mistura de dois tempos na bomba manual do ti' Teodoro de Bolicou-se, para as motorizadas Pachancho dos amigos (porque ele não tinha mais do que uma pasteleira, conforme orgulhosamente repete).

Ora, andam por aí umas pessoas que têm a mania de que são cultas, só porque publicaram ou lêem livros de poesia e sabem que são 10 os cantos dos Lusíadas... Ignorantes são esses! Então eles não sabem que se fosse verdade os Lusíadas terem 10 cantos seriam quase redondos?!... Nesse caso, os Lusíadas não seriam um poema épico e sim uma circular! Quem raciocina assim não é gago! (Pode ser fanhoso, mas isso é outra coisa).

...Isso da cultura tem muito que se lhe diga!!! Estão a esquecer-se da cultura do milho, ou quê?! Não esqueçam que o homem de Bolicou-se cavou (!) muito milho quando era rapazinho!!! Então... não tem cultura mais do que suficiente para ir ouvir cantar os passarinhos nos jardins de Belém?! Para que outra coisa os passarões o andariam a apoiar com carradas de milho?!!!

* Foi gralha, mas que se lixe. Hoje, neste comentário, os passarinhos têm uma palavra a piar

1 comentário:

rebeldeinconformista@sapo.pt disse...

Não me lembro nada disso!!! Mas recordo-me ter as malas arrumadas para "fugir"... do meu país sem entender porquê? Será pq a mnha mãe era professora primaria? E o meu pai trabalhava como agora se apelida pomposamente "Auditor" no M. Finanças? E nunca ficamos mais ricos por isso??? è q o "fulano era honesto, coisa "utópica"... Ou será que era burro? Mtas vezes penso nisso... Digam-me Senhores, o que é certo e é errado?...