domingo, outubro 14, 2007

Dois Encontros de Caricaturistas
Zé Oliveira é o único português
presente em Alcalá e Granada
Como tem acontecido quase todos os anos, Zé Oliveira (coordenador do Buraco da Fechadura) participa com um desenho e estará presente pessoalmente durante todo o Encontro. Aliás, a sua participação tem desta vez uma particularidade inédita: será o único português a participar pessoalmente.


Abaixo, o desenho com que Zé Oliveira participou em Alcalá de Henares e cujo tema era "Traços pela Igualdade", numa perspectiva de equilíbrio entre homem e mulher.





O programa de Alcalá

Com início dia 16 às sete da tarde, o Encontro começa com a Inauguração da exposição "Traços pela Igualdade".


No dia seguinte, decorre fulcro do Encontro, em torno de Eduardo Ferro, o galardoado com o Premio Quevedos deste ano. E debater-se-á o tema "Humor e Exílio".


Arturo Yépez, cartoonista e investigador de Porto Rico, profere a conferência "As publicações satíricas: passado, presente e futuro".


Dia 18, entrega do Prémio Quevedos a Eduardo Ferro e inauguração da sua exposição "70 anos de puro humor".


Dia 19, Inauguração de Jovens Criadores de Alcalá e concerto.


Dias 20 e 21 - Festa da Caricatura, com animação musico-teatral e actividades de crianças. E desenho de mural gigante.


De Alcalá para Granada

Dias 26, 27 e 28, decorre o Primeiro Encontro de Caricaturistas em Granada no qual Zé Oliveira é 'Convidado Especial' (sendo previsto que, em anos futuros, haja sempre um caricaturista estrangeiro com esse estatuto).


Zé Oliveira participa com este cartoon, que representa o dominicano Frei Luís de Gradada, assim chamado por ser natural daquela cidade (1505), filho de um migrante galego de Sárria (Lugo).


Quem foi Luís de Granada

Luís teve de se exilar em Portugal, por ter sido em Espanha um crítico contundente das práticas da Inquisição. Viveu em vários sítios de Portugal, designadamente na Batalha, Pedrógão Grande e Lisboa, onde morreu em Lisboa a 31 de Dezembro de 1588, com 83 anos de idade, tendo vivido 47 em Portugal, onde foi professor e confessor do rei D. João III, da rainha D. Catarina e do cardeal infante D. Henrique.

A frase do cartoon

A frase que consta do cartoon foi realmente pronunciada pelo frade, quando Filipe I de Portugal (Filipe II de Espanha lhe solicitou que divulgasse, no nosso país, as "simpatias" da ocupação filipina. Mas o frade recusou esse apoio, retorquindo com aquela frase. A afirmação é reforçada pelas duas bandeiras, num aproveitamento da coincidência de a bandeira nacional de Portugal e a do município de Granada diferirem essencialmente no facto de terem as mesmas duas cores em posição inversa.

2 comentários:

filomeno2006 disse...

Con la presencia del gran Zé Oliveira el Pabellón de Lusitania Felix queda muy alto. Un abrazo.

Zé Oliveira disse...

Grácias, Filomeno.
Hablame un poco de tu persona!...
Abrazo